Revista 'Billboard'

Chris Brown é capa da edição de Setembro da revista 'Billboard' e na entrevista fala sobre a vida na prisão , os seus fãs , o nov...

Chris Brown é capa da edição de Setembro da revista 'Billboard' e na entrevista fala sobre a vida na prisão, os seus fãs, o novo álbum 'X' e Rihanna... Lê aqui a entrevista traduzida e vê o vídeo:


A 13 de Agosto, Chris Brown deu à Billboard sua primeira entrevista desde que deixou a prisão, em Junho. (...) O cantor de 25 anos fez uma pausa enquanto dava os últimos retoques no seu 6º álbum, X. Mas à semelhança da sua vida recentemente, não foi possível nesse dia focar-se apenas na música. Algumas horas atrás, o cantor, que vive em LA, teve que comparecer no tribunal para receber um balanço (positivo) em relação à sua condicional.

Chris Brown, Billboard 2014.

Os cinco anos de liberdade condicional datam da sua condenação em 2009, por agredir a ex-namorada Rihanna, um ataque que continua notório, mesmo após se desculpar publicamente, passar pela clínica de reabilitação para controlo de agressividade e ser diagnosticado com bipolaridade e problemas de stress pós-traumático. A atitude, por vezes agressiva, de Brown e outras confusões com a lei não têm ajudado. Os 108 dias passados numa prisão de LA, este ano, deveram-se à violação da condicional por agredir um estranho à frente de um hotel em Washington, em Outubro de 2013 (Brown deu um murro no homem depois de ele o tentar fotografar) [Relembramos que este processo já está terminado pois o Chris assumiu-se como culpado de agressão simples, evitando assim a prisão. O juíz disse também que ele já tinha sido castigado o suficiente]. Viu-se também envolvido em confusões com Drake e Frank Ocean.

Chris Brown, Billboard 2014.

A 24 de agosto - menos de 2 semanas após a entrevista à Billboard - o empresário Suge Knight e dois acompanhantes foram alvos de tiros na festa pré-VMAs de Chris Brown, no clube 10AK, em Hollywood. Rumores dizem que o cantor era o alvo principal dos tiros, e a TMZ disse que ele estava a fazer sinais de gangues antes do crime. A 4 de setembro, Chris Brown deu à Billboard a sua versão dos factos em relação aos acontecimentos destes últimos meses:

“Eu percebo que o que faço profissionalmente abre minha vida para o público e que tenho responsabilidade diante de todos por causa dessa exposição. Posso apenas dizer que sou humano e que cometi erros. Posso dizer que tento viver a minha vida da forma mais verdadeira e honesta. Não sou perfeito, ninguém é. Ninguém é mais duro comigo do que eu mesmo. Ninguém consegue agradar a todos. Ninguém pode viver no passado e querer crescer. Eu tenho seguido em frente e espero não ser definido por apenas alguns momentos da minha vida, mas sim por todos os que a irão construir.”

Chris Brown, Billboard 2014.

No meio de todo este “caos e polémica”, como ele próprio classifica, a sua influência comercial continua a ser enorme. O seu mais recente hit, “Loyal”, chegou ao 9º lugar no Hot 100 da Billboard e gerou 1,1 milhões dos seus 41,3 milhões de downloads totais ao longo da sua carreira. O cantor vencedor de um Grammy já teve 13 hits no top 10 do Hot 100, dois deles em 1º lugar; 30 hits no top 10 e 4 em 1º lugar na tabela Hot R&B/Hi-Hop Songs; e dois dos seus álbuns chegaram a nº1 na Billboard 200. Assim, o total de vendas é de 6,1 milhões álbuns.

Brown tem também uma das fanbases online mais dedicadas da música. “Team Breezy” conta com 38 milhões no Facebook, 13.6 milhões no twitter e 4.7 milhões no instagram. O público feminino compõe a maioria da sua fanbase. O empresário de Chris Brown, Mike G, estima que 65% sejam mulheres (muitas delas, adolescentes: 21% dos visitantes de sua página no Facebook têm entre 13 e 17 anos). 

Chris Brown, Billboard 2014.

Brown é, sem dúvida, uma das estrelas mais polémicas da música. Mas, durante a conversa, ele foi gentil e cativante. Enquanto dava os toques finais na mixagem do X, álbum que a RCA lançará a 16 de Setembro, ele cantou e deu instruções ao seu engenheiro (“vamos baixar esse tom para que não fique tão dominante”). Neste "pergunta-resposta", ele fala sobre a vida na prisão, o seu crescimento como indivíduo e se a sociedade está pronta para o aceitar.

> Escreveste enquanto estavas na prisão?

Não. A cadeia não é um lugar com muito espírito criativo. Mas no que toca à minha criatividade, ficou "em espera" até que eu saísse. A cadeia é um regime, uma estrutura. E, para criar música e arte e pintar, eu sou mais um espírito livre. Quando saí, fiquei muito excitado por voltar ao estúdio. Não tinha muitas ideias; elas normalmente surgem quando entro e começo a trabalhar. Eu desenhava a maior parte do tempo.

> Qual era tua rotina na prisão?

Um guarda acorda-te, tu comes. Ficas na cela a maioria do tempo, praticamente 24 horas por dia. Às Segundas, às vezes, podias ir para o telhado dentro de uma jaula e fazer um telefonema. É isolamento. Tens tempo para pensar no que é importante, no que fazer e no que não fazer.

Chris Brown, Billboard 2014.

> Que lições tiraste dessa experiência?

O meu nível de maturidade aumentou muito ao perceber o que é realmente importante. Perceber que sou humano como toda a gente. No fim do dia, é uma experiência de humildade. Ficas mais grato por tudo o que está aqui fora. Um hambúrguer sabe mil vezes melhor (risos). Estou muito mais grato agora por tudo com que fui abençoado e pelas coisas que faço: música, poder tomar conta da minha família, poder ver amigos. Fazer o que amo sem que ninguém pense: “Oh, ele caiu”. Ainda poder ser capaz de ser consistente.

> Do que é que sentiste mais falta?

Senti saudades da minha família. No fim do dia, a música é a minha paixão. Mas em assuntos pessoais, a família vem em primeiro lugar. Eu senti falta da minha mãe, do meu pai, dos meus primos, de ver os rostos das pessoas, os seus sorrisos, de ver pessoas com pensamento positivo e que encorajavam.

> Como te mantiveste motivado?

Tive que pensar que isso aconteceu por uma razão. Havia um propósito nisso. Talvez eu estivesse muito fora do controlo, ou precisasse de algo para me tornar mais humilde. Não pensei em sair da situação, mas sim em aprender com ela.

Chris Brown, Billboard 2014.

> Como é que conseguiste manter uma fanbase tão fiel?

Primeiro, eu diria Deus. Honestamente. A minha fé em saber qual é o meu objetivo e como eu tento descobrir qual é o meu objetivo. A minha fanbase é o exemplo perfeito disso. Eu nunca quero dizer que sei tudo ou que sei qual a melhor música ou hit. Eu simplesmente lanço isso para as pessoas gostarem e amarem. Eu faço música para mim, pessoalmente, mas também tento fazer música com a qual as pessoas se consigam identificar, divertir; tento evocar tanta emoção quanto possível. É Deus e a consistência com o meu talento. É ser capaz de me manter firme quando sou deitado abaixo e me levanto sempre. Muitas vezes, podes ficar confuso com todo o caos e polémica. Eu simplesmente tento manter a minha origem, manter a minha família em primeiro. E focar-me sempre no meu objetivo: fazer boa música. Eu não me foco em histórias e rumores dos media. É absurdo.

> Tu seguiste em frente e a Rihanna diz que também seguiu em frente. Achas que algum dia o vosso relacionamento vai deixar de ser mencionado?

Quando nós deixarmos de ser relevantes, isso pode acontecer. Enquanto estivermos a fazer coisas boas, as pessoas vão trazer sempre coisas do passado, coisas negativas porque não querem que tu passes de um certo nível ou que fiques superior. Mas desde que mantenhas a cabeça erguida, o que dizem não vai importar.

Chris Brown, Billboard 2014.

> Como é viver sob o olhar do público?

Eu apenas tenho que perceber tudo o que vem com esta era dos media. Pessoas da minha idade ou mais jovens estão sempre no telemóvel e na internet. É acesso fácil. Então eu apenas gosto de me concentrar no que estou a fazer, e não se vou ser apanhado. Toda a gente vê o Instagram e assim, todos têm suas piadas e coisas desse género. Eu até posso participar nisso, mas não no lado negativo. Nem toda a gente vai particularmente gostar de mim. Por mim, tudo bem. Enquanto eu tiver o meu amor próprio e a minha música, eu estou bem. As pessoas vão dizer o que quiserem. Eu não olho para trás e não desejo voltar atrás no tempo. A vida é uma experiência de aprendizagem, então eu vou aprendendo. Não vou ficar a andar por aí zangado com com tudo. Eu simplesmente deixo as coisas serem o que tiverem que ser.

> Consideras-te um modelo?

Em relação aos meus erros ao longo da vida, isso é ser um modelo, porque as pessoas podem vê-los e aprender com eles. Eu já passei por mais coisas que a maioria das pessoas com 35 ou 40 anos, e lidei com isso. O facto de me tornar um homem sob o olhar do público, de me manter firme e positivo através de todos os problemas e desafios... essa é a única coisa que posso dizer que contribui para o facto de eu ser um modelo. Se as crianças olharem para mim, isso é excelente. Em relação a mim quanto artista e pessoa, eu quero transmitir sempre algo positivo. Mas quanto a dizer "Hey, eu sou um modelo, eu sou o melhor", de uma forma humilde, eu deixo as pessoas tomarem essa decisão por elas próprias.


> Como definirias redenção?

Ser capaz de aprender com os erros e de inspirar pessoas a aprender com os teus próprios erros. Redenção é seres capaz de ser completamente humilde e de te amares a ti próprio. Tem noção de que és humano e percebe que a vida tem os seus altos e baixos, mas Deus arranja sempre um balanço.

> Se não pudesses fazer música ou dançar, o que farias?

Estaria algures na indústria, mas não necessariamente na música. Seria mais do tipo design de moda, ou provavelmente seria um pintor ou artista de rua. Sou versátil, com diferentes estilos de criatividade. Mas pintar é uma das minhas maiores paixões. Eu comecei a voltar a isso pois tenho andado muito concentrado na música. Não é do tipo "Ok, eu tenho que fazer uma exposição de arte para que as pessoas comprem as minhas obras."

Chris Brown, Billboard 2014.

> Sentes-te positivo quanto ao resultado da audiência de Washington em breve?

Eu sinto-me positivo acerca da vida em geral. O que tiver que acontecer, acontece, e Deus protege-me. Eu vou continuar a manter a minha fé e a continuar focado na minha família, amigos, fãs e música. E a partir disso, simplesmente ser o melhor Chris Brown que posso ser.

Vê mais

0 comentários

Flickr Images